36 semanas e… uma trégua na poluição

A coisa tá começando a ficar real.

Ainda não tô com o modo ansiedade ativado, mas já começo a sentir as vibrações. São 36 semanas completas, meu povo! Já já tem mais um rebento na área.

Ainda estamos decidindo se contrataremos uma doula ou não. Na verdade a dúvida é se vai rolar mesmo a tentativa de parto natural. Rolando, a doula será muito apreciada, pra não dizer fundamental, porque precisarei certamente de todo o suporte que puder ter.

As dores pélvicas seguem firmes e beeem fortes, mas graças a Deus, no domingo tivemos uma trégua na poluição, o que nos permitiu sair de casa e passear no parque, o que definitivamente amenizou bastante a situação. Impressionante como caminhar faz diferença no meu bem estar. Um dia de passeio já faz uma diferença monstruosa. Maldita poluição, viu?

O que eu sei é que minha última gestação está chegando ao fim e, muito embora eu não esteja com pressa nenhuma, porque além de 1. ser muito gostoso sentir o bebê mexendo aqui dentro e 2. eu andar tão cansada a ponto de não conseguir imaginar o que farei quando terceirinho(a) chegar, confesso que, do jeito que essa barriga tá grande e pesada, espero que este seja um bebê pontual. O problema é que sempre que penso sobre o grande dia, me dá um friozinho na espinha: será que vou dar conta de encarar esse parto natural? Será que baby irá cooperar?

Nesta última semana, a criaturinha que estava de cabeça para baixo havia várias semanas resolveu, assim do nada, ficar de cabeça pra cima. Cada vez que sentia os soluços acima da linha da cintura, ficava bem insegura: “Será que vai virar novamente? Ou vai me deixar tensa até o final?” Mas graças ao bom Pai do Céu, baby is head down again! Que assim permaneça.

Hoje fomos à consulta das 36 semanas e tudo em paz com o bebê que, conforme já prevíamos ou sabíamos, está acima da média em tamanho e peso – e isso inclui, pra variar, a circunferência do cabeção, para meu desespero.

O médico segue bem tranquilo e otimista – afinal, não será ele a parir um cabeção, rs. Durante o monitoramento fetal, baby estava bem ativo, o que é um bom indício: “bebê saudável”, segundo ele.

Tudo parece estar favorável realmente. Só me resta rezar pra que o bebê não tarde a chegar, porque, quanto maior ele ficar, mais difícil será de parir. No momento, às 36 semanas, temos um bebê com aproximadamente 3.1 Kg (peso de 38 semanas), o que não alarmou o médico, porque, segundo ele, está de acordo com a estatura dos pais, mas eu fiquei bem alarmada, rs

As apostas já começaram. Será que baby chegará antes ou depois da data prevista? Meu histórico indica que será depois, mas minha esperança é que chegue antes.

Vejamos o que acontece.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s