o poder da meditação

Meditação tem poder.

Fui iniciada na meditação faz, sei lá, uns três anos, através de uma amiga que me indicou um aplicativo (Headspace). Na época, precisava disso para controlar o estresse, que estava grande e agravava demais os sintomas do Sjogren. Comecei minha jornada no mundo da mindfulness e segui nele por vários meses, até que comecei a pular um dia aqui, outro ali e quando vi, aqueles minutinhos diários de meditação já não faziam mais parte do meu dia a dia. 

Até que um belo dia me vi grávida. Grávida sem ter planejado. Grávida quando, mesmo sentindo que ainda faltava um elemento pra completar nossa família (há anos sinto isso, esse vazio), sentia também que já não tinha mais tempo, nem saúde, nem energia para encarar tudo novamente. Foi um dos maiores estresses que passei. Um desespero.

Minha primeira reação foi imaginar (e procurar no Google) tudo de ruim que poderia acontecer, tudo o que poderia dar errado em virtude da idade avançada (afinal, tô na versão 4.0), da síndrome de Sjogren e de todo o caráter não planejado dessa gestação, afinal, além de obviamente não estar  preparando meu corpo para uma gestação tardia, eu tava era curtindo minhas férias que andavam regadas à caipirinha e coquetéis à beira da piscina (e olha que não bebo nunca!), sem falar do pé na jaca em todas aquelas comidas que grávidas devem manter distância. 

Tudo isso contribuiu para que eu entrasse num estado de estresse e desespero enorme, mesmo antes de voltar de férias e confirmar a gestação.

Foi aí, que renovei minha assinatura do Headspace e voltei, da noite pro dia, a ter meus encontros diários com o Andy, desta vez, através do pacote direcionado para gestantes, quem diria. Dependendo o dia, são 15 ou 20 minutos, mas todos os dias estou lá, firme e forte, naquele momento só meu. Quando a fadiga tá muito grande, confesso, acabo dormindo (no último mês aconteceu bem umas duas vezes), mas o que importa é que o resultado está aí pra quem quiser ver: ando envolta numa paz, numa tranquilidade de intrigar qualquer um que me conhece.

Não vou dizer que todas as minhas preocupações desapareceram, que esqueci delas. Absolutamente não. Tá tudo aqui, reconhecido e autenticado, porém a maneira com a qual estou lidando com tudo isso é quase como uma experiência fora do corpo. Tô observando de fora, sem analisar, sem deixar que interfiram no meu dia a dia. 

Tô tão zen que até pros meninos me tirarem do sério tá difícil. Eu “puxo a orelha”, dou sermão e às vezes falo até mais alto pros moleques acordarem pra realidade, mas tudo com muita calma e serenidade. Irreconhecível. Claro que, como qualquer grávida, lido com mudanças de humor e momentos turbulentos, mas quando acontece, passam tão rapidamente, que nem entendo. É quase como se eu estivesse conseguindo racionalizar as emoções, observá-las enquanto elas acontecem. Bem estranho. Estranho, mas libertador.

Me sinto em total controle de mim mesma. Sei que não posso controlar tudo ao meu redor, mas descobri que posso controlar como tudo ao meu redor me afeta e isso, meus caros, não tem preço.

E não é somente com relação à gestação e o dia a dia com os meninos, não. Estou vivendo o mantra: entrego, confio, aceito e agradeço. E olha que não são poucos os motivos para ansiedade e estresse nesses últimos tempos.

Só para ilustrar, em duas semanas, maridinho vai passar uma semana fora, numa campus visit na Flórida. Ele está uma mistura de euforia e nervosismo. Sonha, em pesadelo, pensa nisso o tempo todo, fala disso o tempo in-tei-ro. 

Pra quem não sabe, a campus visit é a última fase do processo seletivo, depois do qual se tem ou não uma oferta.

Pra quem não sabe, meu digníssimo sonha em se mudar pra Flórida desde que se formou no doutorado.

Pra quem não sabe, se essa ofertas concretizar, nos mudaremos de um canto do mundo para o outro com mala, cuia, duas crianças e um bebê recém chegado ao mundo.

Pra quem não sabe, se não fosse minha meditação de cada dia, estaria tendo ataques de pânico e ansiedade diários.

E é por essas e outras que eu super recomendo que todo mundo dedique uns minutinhos de seu dia, todos os dias, à meditação. Incorporar essa prática à rotina é tão importante quanto beber água, escovar os dentes. É uma questão de saúde. 

Meditação é vida.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s