Sotaques e situações

Ser fluente em inglês é uma coisa, entender sotaques fortes é outra completamente diferente. Arrisco dizer que todo estrangeiro tem sotaque, uns (muito) mais do que outros. Aliás, pensando bem, todo mundo tem algum sotaque, afinal, as diferenças existem até mesmo dentro de um mesmo país. Já ouvi tantas histórias de americanos que não entendiam australianos… E não é má vontade, não, a verdade é que, para muitos, compreender sotaques não é algo natural.

Pra mim, definitivamente não é.

Noutro dia, estava eu posta em sossego, esperando o Nickito sair do after school, quando a mãe indiana de um amiguinho indiano do Vivi se aproxima e me pergunta alguma coisa.

Sério, pedi que ela repetisse CINCO VEZES.

Só da quinta vez entendi o que ela falava. Da quinta vez! Compreende a gravidade da situação?

Eu entendo até muito bem o sotaque coreano (se bem que noutro dia, quando uma mãe coreana me ligou, I struggled a little bit, nem tanto pelo accent mas pela maneira de se expressar), mas o sotaque indiano pra mim é dificílimo. Eles falam work, eu entendo walk – já viu, né?

Mas neste caso específico, além do sotaque fortíssimo, a escolha de palavras não ajudou:

“how long are you going to sit?”* .

Que raio de pergunta é essa???

Levante, tirei os óculos, olhei no fundo dos olhos dela e pedi pra repetir. Cinco vezes. Até que enfim entendi que ela queria saber até que horas eu ficaria ali.

Tenho certeza que ela acha que não entendo bem inglês.

Você acha que eu evito conversar a sós com ela? Sim ou com certeza?

Pois bem, nesse Spring Break não tive como escapar.

Atendendo a pedidos desesperados do primogênito, organizei um play date no Champion 1250, um sports center para crianças. O combinado era largar os moleques lá e voltar para pegá-los duas horas depois, dessa maneira, escaparia da conversa tensa e ainda  faria umas comprinhas, maaaaas, minha amiga indiana resolveu dar um voltinha comigo pra bater papo (claaaaaaro, rs), aí já viu, né? Eu tive que colocar toda a minha atenção em cada palavra que ela pronunciava :D. Resultado, acabei não conseguindo ver  quase nada e o pouco que vi, não pude comprar porque “Muito caro aqui, você tem que ir no Dongdaemun!”. Okay, eu sei que no Dongdaemun é mais barato, afinal é um mercadão popular, mas eu queria comprar ali, no shopping mesmo… oh well…

Mas no fim das contas foi bom ter passado essas 3 horas(!!!!) com ela. Assim pude acostumar meus ouvidos ao sotaque e expressões No final do dia, já quase não pedia mais pra repetir 😀

Só o Vivi pra me colocar numa situação assim, viu?


*além da pergunta ter um formato inesperado, a amiga fala extremamente rápido. Extremamente. Já viu, né? E eu me sinto soooo bad por sempre ter que pedir que ela repita 300 vezes a mesma coisa. Não, essa não foi a primeira vez.

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s