Thanksgiving

Ontem foi Thanksgiving e, inevitavelmente, fiz uma reflexão sobre minha vida e tudo aquilo que me faz sentir gratidão. Geralmente, ao fim de cada dia, tento recapitular o que aconteceu e agradecer pelas pequenas coisas, mas ontem resolvi fazer um apanhado geral, um resumão daquilo que me faz ser agradecida.

Sou grata por ter nascido na família em que nasci, que com todos os dramas e imperfeições, sempre me cobriu de amor, me ensinou a respeitar o próximo e a dar o melhor de mim.

Sou grata pelas reviravoltas da vida que me conduziram pelo caminho que me proporcionou encontrar a tampa da minha panela (e olha que eu nem estava procurando), meu par, com o qual construí minha maior, melhor e mais importante obra: minha própria, linda e barulhenta (rs) família.

Sou igualmente grata pela família do meu marido, que há mais de uma década é minha também, por ter me acolhido com tanto carinho, desde o primeiro contato.

Sou grata por todas as minha escolhas, até mesmo aquelas forçadas pelas circunstâncias e também aquelas que me frustraram ou causaram arrependimentos, porque, lá no fundo, acredito que cada escolha que fiz até hoje contribuiu para eu ser quem eu sou, estar onde estou, ter o que tenho (e não estou, de maneira nenhuma, me referindo a “teres” materiais).

Sou grata pela minha vida, pela saúde dos meus filhos, da minha família, sou grata por tudo o que aprendo diariamente.

Sou grata pelas pedras no caminho, pelos tropeços, sou grata por tudo o que poderia ter sido diferente e não foi, porque se tivesse sido, minha vida seria outra. Sem demagogia, sou grata até mesmo por aquilo que planejei e não alcancei, porque a experiência das tentativas edifica, faz crescer.

Sou grata por entender (ou acreditar?) que tudo na vida tem um motivo e, mais do que isso, tudo tem seu lado positivo.

Sou grata por todas as pessoas que, de alguma forma, fizeram ou fazem parte da minha história: minha família, meus amigos de infância, da faculdade, de trabalho… meus amigos da vida real e virtual que me rodeiam fisicamente ou não.

Sou grata por sentir uma felicidade profunda me invadir cada vez que presencio as pequenezas da vida: um entardecer bonito, o desabrochar da primavera, um dia de céu azul e brisa morninha, o colorir do outono, o barulhinho do mar, a sutileza dos primeiros floquinhos de neve…

Sou grata por ter a oportunidade de viver uma vida completamente fora de caixa, ainda que isso signifique ter que abrir mão de outras coisas que eu julgava fundamentais.

Sou grata por compreender que fundamental mesmo é o amor, como ele se manifesta e o que ele possibilita.

Amém!


Em tempo: Gratidão não é felicidade/alegria, gratidão é reconhecimento, é agradecimento. Gratidão é um exercício diário fundamental que te ajuda a focar no lado positivo de tudo na vida, logo, te leva a compreender que a felicidade está dentro de você, que depende de como você encara os eventos. Então, se a vida te der limões azedos, seja grato pela limonada, ou pela caipirinha. Se ela te der um inverno gelado, seja grato pelo aconchego do seu lar ou pelo chocolate quente, que fica muito mais gostoso 😉

One Comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s