Bode (encardido e fedorento)

img_9784

Hoje tô de bode. Irritada, estressada, sem paciência e com saudade de casa, da minha casinha lá na St. Georges Crescent, em frente ao parque, na minha suburban life, minha quiet, simple and easy life. #prontofalei

Hoje, em pleno sábado, após uma manhã aborrecida com a pirraça dos meninos, saímos (eu, sem a menor vontade, sem o menor estímulo para nada) para comprar uns itens básicos de sobrevivência como copos (de vidro), talheres (de verdade), pratos (de tamanho normal), VARAL DE ROUPA (!!!!) e outras coisinhas.

Pegamos um ônibus que em meia hora nos deixou no e-Mart, o K-mart coreano. Ai, gente, que vontade de cortar os pulsos. Só 3 modelos de pratos vagabalde, feiosos e caros (16 dólares cada!). Rodamos, rodamos e por várias vezes tive vontade de chorar. De desespero, de saudade da minha vida arrumadinha na Austrália, onde eu conheço tudo, onde eu encontro tudo. Aqui, encontrar copos de vidro, pratos normais, talheres ocidentais… é um verdadeiro parto.

Por fim, demos uma sorte danada e encontramos uma (eu disse UMA) caixa de pratos (4 rasos, 4 de sobremesa e 4 bowls) made in England pela bagatela (mesmo!) de 70 dólares. Foi este mesmo que levamos. Ô dificuldade, viu?

Mas o melhor (quero dizer, o PIOR) foi comprar varal de roupa (peloamordedeus, me diga, quem merece??? Às vezes tenho a sensação que estamos andando para trás e, tipo, não foi este o combinado!). O fato é que no apartamento tem uma lava-roupa até bem grandinha (10Kg) que, em tese, lava e seca, porém, ah porém, ela está fedendo à mofo! já colocamos para bater sem roupa, com sabão e água quente (duas vezes) e quando fomos bater a roupa, ficou tudo bem, até colocarmos para secar. Aí, meu amigo, a roupa fedeu, saiu da máquina mais fedida do que entrou, até porque nem tava fedida antes, rs. Ou seja, como eu não tô nem um pouco animada a comprar uma máquina de secar para daqui a 3 anos ter que jogar fora, vamos de varal mesmo. Tô odiando, mas é o que temos.

Enfim, enchemos um carrinho com itens fundamentais e pegamos um taxi para voltar pra casa (atenção para o detalhe: o taxi é tão barato que fica muito mais em conta do que pegar ônibus, quando saímos em 4). Chegando em casa, nos deparamos com várias caixas empilhadas na porta do nosso apê. Mais uma remessa das nossas compras online.

Agora já temos panelas, liquidificador, torradeira, sanduicheira, arrozeira, facas, talheres, pratos, copos… dá até para preparar um jantar  e comer com dignidade. Quer dizer, quase com dignidade, porque ainda não temos nem mesa, nem cadeiras.

A última, que ainda não contei, foi a água quente que escafedeu-se. Só tomamos banho morninho na primeira noite, depois ficamos só na água fria mesmo. Daí, hoje, o marido ligou pro chefe (que também é o síndico do prédio, rs) e a esposa dele veio ver se resovia o problema. Resolveu 🙂

Não saber sequer ler é dose, viu? Aparentemente o problema foi que alguém (provavelmente o Nick) esbarrou (provavemente mexeu mesmo) no sistema de aquecimento da casa que funciona pro piso e para a água. Resultado, o aquecimento da água foi desligado e tivemos que tomar banho gelado  por dois dias. Ainda bem que estamos no verão 🙂 Mas ó, ainda assim, ontem à noite, Vivi-mimado, chorou baldes por causa da água fria (fresca, na verdade). Ah se ele soubesse que o vovô William não nos deixava tomar banho morninho nem no inverno!! Meu pai, até hoje, diz que banho morno faz mal à saúde. Eu, desde que casei, tomo banho quente até no verão, pra compensar o trauma de anos tomando banho gelado até no inverno, rs

Oh well, vamos sair para jantar. Quem sabe eu volto mais animadinha? 🙂


Vortemu 🙂

Fomos caminhando até nossa área favorita, aquela dos restaurantezinhos minúsculos porém mais charmosos da cidade (diz aquela pessoa que acabou de chegar em Seoul e ainda não conhece praticamente nada por aqui, rs).

img_9783

De fato, me fez bem sair, caminhar, arejar os pensamentos. Passear, à noite por aquelas ruelas iluminadas e cheias de vida (até as lojinhas ficam abertas) me faz bem.

Jantamos no Moon, um restaurantezinho que conhecemos esta semana. Delicinha!

Na saída, o dono do restaurante em frente (no qual também já fomos), nos viu e chamou todo o staff (2 pessoas, rs) para nos ver pela janela: “a família zoiúda”, imagino rsrsr. Marido deu até um tchauzinho, rs Somos figurinhas fáceis na região, figurinhas marcadas também. Quiçá a única família olhuda das redondezas. Já viu, né? É como se fôssemos assim um bando de calopsitas australianas no meio das Gaivotas cariocas.

Em tempo: colocamos a máquina para bater vazia novamente, desta vez com vinagre, em vez de sabão, dedinhos cruzados para funcionar, porque o varal pode até funcionar durante este verão superquente, mas durante o inverno, duvideodó.


11:10 pm – Voltei rapidinho pra contar a última da noite: meu banheiro alagou. O ralo da pia parece estar entupido e o sifão está vazando. Diliça! Olha, tô cansada, viu? É tanto problema, tanto estresse que acho que vou fazer uma plantação de arruda aqui na sala e um estoque de sal grosso no banheiro. Tá sinistro.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s