Dia de Ikea e donut da culpa

img_9743

Hoje foi o segundo dia de escola dos meninos e graças a Deus, voltaram pra casa dizendo que havia sido um pouquinho melhor. Bem, na verdade, acho que foi bem melhor, mas só confessaram bem mais tarde. Explico porquê:

Eles saltam do ônibus escolar bem em frente à Paris Baguete, então, a consciência pesada, a culpa, nos induziu ao erro de, comprar um donut, um pão de queijo, um agradinho para eles. E não satisfeitos em mimá-los, Mr. Papai ainda confessa o motivo do agrado, quando o Vivi, surpreso com o ato pergunta: “Por que vocês estão comprando donut pra gente?”

Mr. Papai: porque a gente se sente culpado por ter tirado vocês da Austrália, dos amigos, da escola…

(menos sinceridade, por favor, né, papai!)

Vivi: hmmmm

Dona Mamãe: mas e aí, Vivi, como foi o dia hoje?

Vivi: the same (fazendo cara triste – também conhecido como draminha)

Eles nos conhece bem e tentou se aproveitar da situação para espremer algo mais, um mimo extra, rs. Maaaas, nós o conhecemos melhor ainda, e eu bem sei quando ele está triste e quando ele está exagerando, fazendo draminha, rs

img_9725

Naquele momento, eu sabia que ele não estava sendo sincero e  a verdade não tardou a vir à tona, rs. No jantar, ele confessou: “Na verdade, hoje foi bem melhor, já tenho até um crush, uma menina muito bonita na outra turma!” How cute is that? 🙂

Nickito por sua vez, para minha completa surpresa, já que ele sempre sai de casa dizendo que será the worst day ever, disse empolgado que o dia foi muito bom e que ele ADORA a assistente da professora, que ele chama de korean teacher 🙂

Você não faz ideia do alívio que senti ao ouvir as declarações dos meninos!

Mas voltemos para o início do dia.

img_9746

Após colocarmos as crianças no ônibus, fomos até o apê tirar algumas medidas no olho e no palmo, já que não temos trena e em seguida partimos para a Ikea. De ônibus. E de metrô. E de ônibus. Uma viagem! Mais de uma hora até chegarmos lá (me fez lembrar dos perrengues que passamos em nossas primeiras semanas em Bloomington e em Melbourne – a história se repete, I guess).

Sabe aquele meu papinho de não querer comprar carro. Esquece! Quero um carro. Preciso de um carro. Se bobear, dois!

Anyway, após a longa viagem, finalmente chegamos ao destino, minutos após a loja abrir. E adivinha? Já estava lotada! Em plena segunda-feira de manhã, meu Deus do Céu! Esse povo não trabalha, não? Caracoles!

Eu tenho completa agonia de lugares tumultuados, não consigo nem pensar direito, que dirá decidir o que comprar.

O processo foi demorado, muito embora a Ikea daqui seja bem menor que as nossas de Melbourne. Uma indecisão tremenda, mas no fim das contas, conseguimos comprar algumas estantes, duas mesas + duas cadeiras pro office. Teríamos comprado também as cadeiras da mesa de jantar, mas infelizmente estavam out of stock – também pudera, né? Com a quantidade de gente que vai à Ikea diariamente, não há estoque que dure!

(não sei se comentei, mas a Ikea abriu as portas em Seoul no ano passado apenas e até onde sei, os comerciantes moveleiros não estão nada felizinhos com isso, rs)

Claro que terei que voltar lá (mais umas duas ou três vezes), para meu desespero, provavelmente no fim de semana (God help us!).

Mas o melhor mesmo foi termos que nos comunicar com o carinha do atendimento sem falar, rs É sempre uma aventura 🙂 Bem, pelo menos no guichê de entrega, havia uma menina que falava inglês (daquele jeito, mas falava! E foi very helpful!)

Amanhã receberemos nossas coisas em casa, não é muito, mas já nos deixam preparados com espaço para guardar nossas coisas que estão à caminho (já que os armários da casa são só 2).

Comprinhas feitas, fomos no Lotte, o shopping ao lado, almoçar, só que para nosso azar, comemos um hamburger safado no primeiro fast food que encontramos na frente. Pura ignorância 😦 Na verdade, foram a ignorância e muita fome que nos levaram a comer no primeiro lugar que encontramos. Odeio fast/junk food, mas estava quase desmaiando de fraqueza. Esta é a única explicação que encontro para eu não ter enxergado os mais de 20 restaurantes logo ali na frente 😦 Ô raiva!

Terminamos de comer nosso junk e pegamos um taxi pra casa, porque já estávamos em cima da hora de buscar os meninos no ponto do ônibus escolar. E esta foi nossa primeira experiência ruim com taxista (e olha que já pegamos foi taxi hein!). O cara que, obviamente, não falava inglês, não usou o taxímetro e deu seu preço (40 dólares, o que é um absurdo, já que taxi aqui é ridiculamente barato). se não estivéssemos atrasados, jamais teria entrado no carro, mas pagamos o preço do adiantado da hora 😦

Oh wall, paciência, né? Pelo menos chegamos em tempo.

(já falei que preciso de um carro?)

E para compensar o almoço meia-boca, tivemos um jantar muito gostosinho, aqui em Yeonhui-dong. Todos os pratos que pedimos estavam deliciosos. Ainda não me acostumei com o fato de que em qualquer bar ou café come-se bem 🙂

Não sei se já falei isso e se ja falei não pense que estou cuspindo no prato que comi, mas quem acha que Melbourne é o paraíso da gastronomia, não conhece Seoul!

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s